Data Center próprio

Os riscos de manter um Data Center próprio: faça os cálculos

Manter uma estrutura de TI de qualidade exige bastante de uma empresa. Além do investimento inicial, manutenções e atualizações também são constantes.

Informação é tudo nos dias de hoje, e isso faz crescer exponencialmente a demanda por armazenamento. Eventualmente, investir em um Data Center próprio parece ser a solução mais adequada, mas será que o alto investimento compensa?

Quais são os custos de um Data Center?

O investimento em um Data Center próprio costuma ser elevado, dependendo do porte da empresa a equação pode ultrapassar milhões.

Os custos se justificam, é claro. Afinal, é preciso criar um ambiente seguro e controlado para que os sistemas mais críticos de uma empresa possam rodar sem interrupção.

Mas, antes de investir em um Data Center próprio você precisa colocar todos os custos na ponta do lápis e saber que ele não é a sua única alternativa.

Para além do investimento inicial

Além do investimento na implementação, você precisa prever todos os custos decorrentes dessa estrutura.

Grosseiramente, é como comprar um carro. Você não leva em conta apenas o valor do automóvel. Mas, precisa também colocar na balança as taxas anuais do carro, o valor do seguro, do combustível e outra infindável lista de serviços e acessórios.

No caso de um Data Center próprio a lógica é a mesma. Confira a seguir alguns dos investimentos que você precisa levar em conta:

Custos com energia

As tarifas de energia elétrica costumam pesar e muito no bolso do consumidor. Quando você é uma empresa, este cenário é ainda mais desfavorável, principalmente para empresas que mantém servidores locais.

Para você ter ideia, recentes estudos afirmam que 33% do custo total de um Data Center é gasto com energia. Portanto, é um inimigo silencioso da competitividade empresarial, e que precisa ser combatido com planejamento e soluções mais modernas.

Manutenções e atualizações

Além dos custos com energia, as instalações elétricas, a segurança, o acesso físico, planos de contingência, custos de rede e outros mais se fazem necessários para a utilização rotineira dos Data Centers.

Isso porque, um Data Center para se manter operante 24 horas por dia, 7 dias na semana, exige tratamento especial: ambiente climatizado, controle de acesso, equipamentos de rede, prevenção de incêndios e segurança acima de tudo.

A hora dos especialistas

Para manter essa estrutura operante, além da questão física, um Data Center próprio exige uma equipe qualificada para operá-lo. Além é claro, de investimentos constantes em treinamento para especializar os colaboradores.

Em especial, em questões ligadas às novas tecnologias e a segurança, para que estejam sempre atentos aos possíveis ataques hackers, que a cada ano se tornam mais frequentes.

Manutenções corretivas

Não podemos esquecer também de que incidentes podem acontecer sem aviso prévio, e que eles não são raros em estruturas onde o Data Center é internalizado.

É uma máquina que se esgota, uma fonte ou um ar-condicionado que pode queimar e outras tantas demandas que, mesmo acompanhadas, acabam elevando os custos de um Data Center.

Ao conhecer todos esses custos, é importante fazer os cálculos. Levando em consideração, principalmente, os gastos que manter um Data Center próprio vai trazer à curto e a longo prazo.

Alternativas ao Data Center próprio

Como você pode observar, os gastos para se manter um Data Center próprio são bastante elevados. Mas, a sua empresa pode economizar e ainda, ter mais segurança de dados investindo em servidores virtuais.

Quando você faz isso, não está apenas hospedando dados importantes da sua empresa em nuvem. Mas, está adquirindo junto dessa hospedagem o gerenciamento e o monitoramento constante desses servidores. Em uma estrutura física de ponta, onde o atendimento é ininterrupto, feito por uma equipe certificada e especializada.

Portanto, antes de investir em um Data Center próprio, anote e mensure todos os custos. E acima de tudo: tenha a certeza de que os dados cruciais da sua empresa vão estar em boas mãos.